domingo, 1 de junho de 2014

O PORQUÊ DO VOTAR OU NÃO?!

PESCADA DE RABO NA BOCA.... LEIAM COM ATENÇÃO. Independentemente de ser de esquerda ou direita, o importante deste texto é acabar com a ideia de que o voto em branco é uma atitude cívica, útil.
Uma impressionante vaga de grupos e páginas pessoais no facebook têm vindo a apelar ao voto em branco e nulo.
Leiam o artigo de um conceituado jornalista.
O voto branco e nulo, tem poder?
"É de respeitar a posição de quem prefere não optar, mas o voto branco não funciona para quem quer tomar posição na luta social e política.
Uma impressionante cadeia de emails anónimos tem divulgado uma mentira. Um apelo ao voto branco "contra estes políticos" garantia que, "se a maioria da votação for de votos em branco, são obrigados a anular as eleições e fazer novas, mas com outras pessoas diferentes nas listas".
Tanto circulou a mentira, que a Comissão Nacional de Eleições teve de lançar um esclarecimento sobre a lei: "Os votos em branco e os votos nulos não têm influência no apuramento dos resultados - será sempre eleito, à primeira ou segunda volta, o candidato que tiver mais de metade dos votos expressos, qualquer que seja o número de votos brancos ou nulos."

NOTA OFICIOSA DA COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES
Os votos brancos e nulos já atingiram percentagens importantes. Somados, em eleições presidenciais anteriores, chegaram a 2% a 3%, ultrapassando mesmo alguns candidatos. Cabe perguntar: quem o recorda? Quem se incomodou? Quem vibrou e quem tremeu? Os votos brancos e nulos são uma má opção de protesto, desde logo porque podem não ser protesto nenhum. São apenas uma expressão vazia, onde cabe o apelo autoritário, a hesitação radical (que não se decide a tempo), a desilusão do momento e a confusão com a abstenção. É de respeitar quem prefere não optar, mas o voto branco não funciona para quem quer tomar posição na luta social e política.
ensinar as crianças politica votar
À esquerda, o apelo ao voto branco é uma desistência absoluta. Nestas presidenciais, a direita e a burguesia portuguesa unificaram-se na candidatura de Cavaco Silva. É o candidato da austeridade, da "recessão-que-cura", do "ajustamento no factor trabalho", dos CEO e dos accionistas de referência. Manuel Alegre foi sempre uma voz de divergência com a capitulação perante o liberalismo, uma garantia na defesa dos serviços públicos, uma voz em defesa dos direitos do Trabalho." Jorge Costa, Jornalista e Dirigente do BE
Cada voto do cidadão, para além de pôr no poleiro os mafiosos que nos (des) governam e lhe garantir salários de luxo para o resto da vida, ainda oferece 1/135 do salário mínimo, actualmente em €485,00, ou seja, cada 135 votos dão 485 euros ao partido!!!) 1 voto = €3,60. Significa que cada cidadão entrega, a todos os partidos votados, o quadruplo dessa importância (€14,40), atingindo uma despesa superior a 70 milhões de euros; Vejamos o caso do PS. Teve 1.566.347 votos. Recebeu a módica quantia de 5.627.246 euros. ARTIGO COMPLETO
A polémica sobre o assunto é grande, e dispendiosa, mas, pelo menos sabe-se que não votar PS/PSD/CDS era um grande contributo que os portugueses davam para o bem nacional.
A polémica gira em volta do valor da abstenção, do voto em branco ou nulo. Não passam de opiniões... As opiniões divergem e nada está suficientemente explicito. Pressupõe-se que seja de propósito, que não haja nada de esclarecedor, concreto ou válido, sobre o assunto. Isto só por si, tem um significado ultrajante. Não convém que os eleitores saibam ou possam utilizar o voto, a seu favor. Não convém que os eleitores possuam poder, seja através do voto ou de outra qualquer ferramenta democrática, utilizada em países com democracias reais. (referendos, petições, manifestações, etc, em Portugal não possuem poder.
Por isso questiono, se votar neste sistema e nestes senhores é uma atitude cívica ou democrática?
Se o voto é a voz , a arma e a vontade do povo, então deveria ser o povo a decidir qual o significado do voto em branco, do voto nulo e da abstenção... jamais os políticos, que mais uma vez, tomaram para si um direito que era nosso.
Que seja o povo a decidir o que pretende dizer com a abstenção, com o voto nulo e com o voto em branco, e que consequências isso traz, para os políticos e para o país.
Não tenho solução, nem respostas, nem certezas, e pelos vistos ninguém tem, pois andamos há décadas a ser roubados e enganados e ninguém sabe como os deter. Ninguém possui a arma ou a voz para fazer valer os direitos dos que são roubados, desprezados e despojados de direitos e etc.
Eles, os eleitos e candidatos, tencionam proteger-se num império indestrutível, jamais nos iam dar o poder de destruir o seu império, através de simples votos, ou qualquer outra loucura democrática.
Todos unidos, resta-nos mostrar ás pessoas, que ainda andam iludidas, a espécie de seres que nos governa. Substituir a ignorância do povo pela indignação, a inércia pela revolta. É isso que eu procuro, creio que a solução terá de ser pela revolta, pois eles jamais abdicarão do seu império de livre vontade.
O voto nulo, branco, abstenção não possuem qualquer valor ou força para mudar o caos que nos impõem, a não ser que nos organizássemos e fossem massivos. Algo impossível pois bastam as seitas de boys e militantes dos respectivos partidos, para lhes dar a vitória. Portanto devemos assumir que jamais será possível que o povo se una nesse objectivo. Somos incapazes de nos unir e muito menos organizar, e para isso muito contribui a farsa dos partidos, para dividir as pessoas " Dividir para reinar".
O voto é apenas um beco sem saída. E enquanto não percebermos isso, não vamos lutar para mudar as coisas. A abstenção massiva, organizada e reivindicada seria apenas uma manifestação e não uma posição definitiva.
O império da partidocracia está bem assegurado, através das autarquias, das câmaras, das freguesias, das paróquias e das seitas de militantes que desempenham o papel de autênticos missionários, angariadores de fieis votantes.
Basta haver uma maioria ENTRE OS QUE VOTARAM VÁLIDO, para que eles ganhem sempre.
Uma entre as muitas medidas a tomar se vivêssemos em democracia, seria determinar de forma definitiva e inequívoca, o valor de cada acto do eleitor...
O voto nulo significaria X e teria como impacto Y a partir da percentagem X
O voto branco significaria W e teria como impacto X
A abstenção significaria L e teria o impacto K
Mas dar voz ao povo, dar armas ao povo com balas jamais seria benéfico para os nossos saqueadores que gostam de nos ver encurralados entre escolher corruptos, ou como alternativa ... outros corruptos.
Votar não trará a solução. Para aqueles que esperam resolver os problemas de Portugal nas urnas, desenganem-se.
Para aqueles que acham que votar é um dever e um direito, lavagem demagógica fortemente implementada nos cérebros portugueses. Votar apenas serve os interesses dos que nos saqueiam, e jamais pode ser um dever e um direito dos saqueados, votar neles e no regime deles.
Para aqueles que não sabiam que cada voto branco, nulo ou válido dá dinheiro aos larápios dos partidos.
Para aqueles que ainda acham que o voto é o símbolo da democracia, recordem que, democraticamente, o voto deveria representar a vontade e a voz do povo, e não representa. Apenas representa o que os beneficiários desses mesmos votos, quiserem.
Para aqueles que se recusam a deixar de votar porque muitos morreram a lutar pelo direito ao voto, devo acrescentar que ao votar estão a ofender o sangue e a luta dos que lutaram pelo direito ao voto. Porque os que empreenderam essa luta, não foi certamente por este tipo de voto que lutaram. Lutaram pelo voto democrático, com poder, com valor, com capacidade de mudar o que o povo achar que está errado, injusto e corrompido. Não foi por estes votos inúteis e inócuos que os portugueses lutaram... não se iludam, não alinhem na farsa.
De todas as atitudes eleitorais, a que me parece mais benéfica para o povo é a abstenção, já que tal como o branco e nulo, não produz qualquer impacto, mas pelo menos poupamos o dinheiro das subvenções, poupamos gasolina e tempo, ficando em casa, e não pactuamos como o regime instalado, de votos ditatoriais.
O voto em branco e tem o mesmo valor do voto nulo. Em suma, votar em branco ou nulo é não saber votar... Nem tu, nem ninguém pode dar um sentido diferente ao voto daquele que a lei lhe confere.
Queres mudar Portugal? Então muda a forma de pensar e de agir... já basta.
Criticar a impotência dos votos, a manipulação do voto, a incapacidade do voto de representar o povo e defender os direitos do povo, não é apelar à abstenção, é criticar e exigir votos que realmente mudem o que está errado, travem os que nos roubam, penalizem os que agem mal, e não os inocentes.
A abstenção serviria apenas como uma manifestação de descontentamento, daqueles que já perceberam o embuste, a falsidade e o logro que é o voto.
Quer Votes branco, nulo, ou PS, ou PSD, ou CDS, ou não votes, ganha sempre a ZON, A PT, A EDP, A SONAE, O BES, ... OS DONOS DE PORTUGAL... deixem-se de polémicas fúteis e vamos é pensar como mudar esta democracia da treta, que é uma ditadura de ricos e políticos contra pobres. Não são os que se abstêm que elegem os corruptos, são todos os outros... que de uma forma ou outra colaboram na farsa e a alimentam.
Outras perspectivas:
Porque alinhas na farsa da democracia? Queres que continue?
-Marinho Pinto apela a uma revolução pela abstenção
-Votar é o nosso doce... obedece e vota
-Votar é uma maçã envenenada
-Votar é enriquecer parasitas?
-Insistir no erro, cegueira ou burrice?
-Votar é um direito ou um dever.
- Democracia de fachada
- Eduquem os políticos, imunidade parlamentar?
- Na Finlândia os políticos são escolhidos por mérito.
Valor do voto:
- Como é que podemos acreditar que escolher criminosos para nos governar pode ser um direito ou um dever? Escolher pessoas manipuladoras, mentirosas, desconhecidas e de integridade duvidosa... é um direito? Escolher pessoas para cargos com poderes ilimitados, impunidade ilimitada, sem qualquer competência, ou provas dadas de mérito, sem responsabilidade jurídica pelo seus actos, é um direito??? Mas quem é que ainda acredita nesta lenga lenga conveniente aos criminosos que nos arruinaram e arruínam?
«Para se livrar dos governos não é necessário lutar contra eles pelas formas exteriores, é preciso unicamente não participar em nada, basta não sustentá-los e então cairão aniquilados.» Citação - (Liev Tolstoi)

Os nossos leitores gostaram igualmente de
ARTIGO COMPLETO: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/11/o-poder-do-voto-voto-em-branco-e-nulo.html#ixzz33KKhwXJj

PS; Tenho pensado muito sobre toda esta situação do impacto do voto... lendo tudo isto, vem ao encontro das minhas pertensōes. Por isso concordo e, quem assim o não quiser ver, para mim é cego duas vezes! Já a revolta num sistema dito democrático não é viável, quase impossível até de o fazer. Aqui o que precisamos é que o povo se arme com sabedoria e, concensualmente se chegue a alguma positiva situação futura. VAMOS REPASSAR ISTO NAS REDES SOCIAIS JÁ... obrigado a todos.

A.C.S.

1 comentário:

Eduardo Maria Nunes disse...

Só vota quem quer,
quem não quer votar, não vota
porque é bela a mulher
mas há quem dela faça chacota!

A luz deu à luz,
luz se acendeu
da chuva se protegeu
na cabeça tinha capuz!

Resto de bom domingo e um abraço para ti amigo.